Almas e Sentido. . .

 

Do que se alimenta tua alma
homem do meu tempo?
De esperança ou expectativa?
Vejo meu futuro e nem sei o que virá - dizem alguns.
Sei que o futuro trará o melhor que me está reservado -
outros dizem assim.
E são passantes na mesma vida
buscam guarida, paz, refrigério,
felicidade é o que se quer!
Assumo que presumo, sou o resumo de uma vida sem destino
traço meu rumo ao desatino,
inseguro e temeroso sigo
sinto-me o homem de uma estrada imensa
feita da descrença
e do andar só.
Vivo de expectativas!
Assumo que me inflamo,
sou humano e não me engano
acerto o passo em cada laço
prossigo em calma, liberto a alma,
em cada volta que a vida dá.
Sigo meu rumo pois minha lida já tem guarida
o meu sentido é o Deus da vida
que a mim me guia sem rebeldia
minha consciência me faz liberto
e andar naquilo que acho certo
faz bem para mim.
Vivo de esperanças!
. . .
Homens ambíguos esses do meu tempo
Em busca daquilo que se chama paz!
Desejos suspiram pela alma do homem
que se esvai solitariamente triste.
E há alguém que deposita nas mãos do Pai seu rumo
e sente a mão do amor direcionar-lhe a vida
Esse diz que vai mais feliz!
O tempo passa,
Vida se arrasta
Efêmera vida de todos nós!
O tempo diz no final do dia
esperança é alegria
é justica
e desenha um sorriso na alma do homem.
Mas a alma do homem em expectação perecerá
na solidão dos dias seus
quando não conseguiu olhar fora de si
E nunca ousou acreditar em Deus!

:: Postado por Marisa às 07:34
::
:: Enviar esta mensagem

Andanças

Nestas andanças
Prefiro o viver singelo
Do filho não errante
Do caminho verdadeiro.
Prefiro as cores
E flores
Do que as luzes e seu brilho
Prefiro os matizes simples
E uma vida de andanças
Melhor que um voar pra longe
Com riscos de não chegar.
Prefiro a estrada segura
Os passos no bom caminho
Pois terei sido no mundo
Um alguém sem desalinho.
E se ousar chegar um dia
Meu sonho é mais que a terra
Quero uma eternidade
Quero onisciência
Poder,
Sabedoria.
Quero a vida
Eternamente.

:: Postado por Marisa às 08:16
::
:: Enviar esta mensagem

Efemeridade

Plantei-me
Diante do horizonte
Para ver infinitamente.
Longe ficava o limite
Tão lindo era
Que o céu abraçou o mar.
Pensei que longa seria a vida
E eu teria tempo.
Distanciei-me
Voei
Refleti meu mundo
Corrido
De versos diversos
E fome na alma.
Quando dei por mim
Eu tinha vivido tudo
E pouco me restava.
E eu senti
A efêmera vida
De malas prontas
Partindo.
Percebi
O horizonte é ali.

:: Postado por Marisa às 08:06
::
:: Enviar esta mensagem

Destino

Havia uma casa no meio da mata
Nela pousavam sonhos e borboletas azuis.
O tempo fez a casa virar ruína
Porque nada é prá sempre.
Mas as borboletas
Nascem sempre e enfeitam de azul a velha casa.
Na vida
Nem sempre nossos sonhos se concretizam
Mas somos os sonhos de um Deus
E temos sempre que ser como as borboletas
Que enfeitam o lugar onde estão.
Viver sim,
Para ser luz aos outros.
Viver sim,
Para mostrar o amor.
Isa Poetisa

:: Postado por Marisa às 08:02
::
:: Enviar esta mensagem

Pássaros na Alma

Sussurra o vento
Confessando-me
A vida.
Câmera lenta
Tento...
Busco um alento
Não me contento.
Rodopia a alma
Por um momento
Meu movimento
Sedento segue.
Sorvo um gole
Em demasia
Utopia aflora
É poesia.
Sigo
Ao relento
De longe
O vento
Acaricia.
Sou pássaro
Solto
Absorto na procura
Insisto
Luto
A vida é dura.
Sou teimosia!


:: Postado por Marisa às 06:37
::
:: Enviar esta mensagem

A minha Deusa

É a minha deusa , delicadeza

Tem toda  graça e faz pirraça no meu viver...

Sabe que é dona da emoção,  do meu sentir

Um brilho imenso que desfaleço

Quando contemplo sua  leveza e a sutileza de um gesto seu!

Faz que não sabe

E  tudo vê!

De tudo entende e tem sentido o que me diz.

Tem minha benção,

Meus olhos a seguem ,  por ela eu canto,

Por ela eu vibro,

É a minha luz!

Num dia calmo ela chegou, há dezesseis anos

Direcionou minha  vida num sentido bem mais feliz.

Ela tem o garbo e tem a pose...

Dona da vida, dona da lua,

Dona da rua,

O mundo é seu!

Pequena alma sou ... plantada diante dela

Vislumbro-lhe a doce face,

O belo riso, sua pureza ,

Minha quimera, a doce flor

De primavera!

Eu sonho o instante, do seu encontro

Em que  virá e me dirá: Estou feliz!

Por ela Tudo...

Para ela o mundo...

Tudo para sempre!

Ela é o presente

Maior presente do amor de Deus!

Minha filha

Verde esperança dos olhos meus!

(minha filha, teus 16 anos, para mim, é a maior festa!)

:: Postado por Marisa às 19:49
::
:: Enviar esta mensagem

Pensamentos

Encontram outros pensamentos

Em muitas luas.

Vidas que se enfeitam

E um dia as vidas enveredam por caminhos outros.

Um doce vento aplaude uma paz que me vem à alma

Alma doce de criança que sente apenas o dia

E vai passando apenas...

Um sentimento sem medidas

Que a tudo me aconchega...

E eu abraço a rima

A poesia

Feito menina

Num poetar!

E passa o homem cabisbaixo e triste

Pelo atalho da solidão

Porque não sabe

Enfeitar a alma.

:: Postado por Marisa às 17:03
::
:: Enviar esta mensagem

S á b a d o . . .

Lento foge o dia

Entardecer

Sábado!

Memorial da criação

Dia único

De encontro

E paz.

O homem

Voltado para si

Descansa da luta

Cessa a corrida

E a dura vida

Tem seu instante de recuperar

 Esperanças.

Cessa o ritmo

Nesse encontro

Por completo

Para que se refaça o homem

É  um dia de alegria!

Regozijo e comunhão

Da alma consigo mesmo

Do homem com os seus

Encontro com Deus!

Busca o silêncio da oração

Pedindo restauração

Para os sonhos que a dura vida desfaz.

Na alma o encontro

Respira aliviado

Grata emoção

Há paz no viver!

Dia do abraço

E do tempo

Enlêvo e lembrança 

Dia  do sonho!

Dia em que Deus

Descansou de toda obra

Que fez.

E o homem

Despreza

Este instante

De graça

Onde o tempo

Seria perfeito

Para viver o amor.

Que pena

Que a vida corrida

Afasta o homem

Do essencial

E o seu encontro

Nunca se dá.

(Marisa Bragalia)

:: Postado por Marisa às 19:08
::
:: Enviar esta mensagem

Navegando. . .

Infinito aos meus olhos

É o mar.

Lento e limitado

O barco vai.

Imensidão de águas

Como a vida

Imensidão de sonhos!

A ilha é repouso

Recebe o barco na sua solidão.

Como a casa

Para o homem cansado da luta.

Depois

Há o farol

Que guia e não permite extraviar-se.

Como Deus

Que é a segurança na dura estrada.

Haverá sempre

Um porto

E o barco chegará.

Como a vida

Que é finita...

Com lindas promessas

De eternidade.

O homem comanda o barco

O homem sempre escolherá seu caminho.

 

 

:: Postado por Marisa às 17:35
::
:: Enviar esta mensagem

Secas Folhas

Era uma vez...

Um homem, uma mulher

Um sonho de amor

Verdes folhas ao vento.

 Um dia

Adicionaram-se numa história

De sonhos talvez

Encantos talvez

Estavam inteiros.

Silenciosamente

Construíram muros

Afastaram-se pouco a pouco...

Secaram as folhas no vaso

 Um do outro mais distante

Sem versos, sem sonhos,sem nada.

Soltaram as mãos do afago

E o viver entristeceu.

As almas

Peregrinaram

Em busca de outros horizontes.

Sozinhos

Por caminhos não sonhados

Por caminhos inventados

Pela vida insatisfeita.

E o amor ensinando que era preciso busca

E  envolvimento.

Mas desistidos estavam

De si e do outro.

O egoísmo

Os dividiu.

Cada um pensou em si

Somente.

E cessou o laço.

E o amor findou.

Como a flor no vaso sem água

Depois de dias.

Como  a natureza que a chuva não regou.

Até quando os homens

Correrão atrás do nada?

E deixarão para trás

O que era verdadeiro?

Até quando a utopia

Tomará o lugar da vida?

 

:: Postado por Marisa às 13:01
::
:: Enviar esta mensagem

S i n g u l a r i d a d e ...

Sentir

Alma com alma

Unir

A vida num beijo.

Pequeno gesto

Puro

Lampejo

Singularidade

O sentido do beijo.

Beijo  sagrado

Fidelidade

Num beijo.

Olhos e mãos

Respeito

Lealdade

Num beijo.

Bom seria se o beijo fosse ainda

Do jeito sonhado

Pelo Criador.

Acompanhamento...

Intimidade...

Desejo...

Um beijo que fosse alma

E olhar.

Um beijo que fosse começo

Prenúncio

Do respeito que haveria

Na vida inteira

Do amor.

Olhar

Alma com alma

Unidos pelos gestos

Sentir a certeza

Da resposta num  beijo.

 

:: Postado por Marisa às 16:24
::
:: Enviar esta mensagem

D e s t i n o ...

Havia uma casa no meio da mata

Nela pousavam sonhos e borboletas azuis.

O tempo fez a casa virar ruína

Porque nada é prá sempre.

Mas as borboletas

Nascem sempre e enfeitam de azul a velha casa.

Na vida

Nem sempre nossos sonhos se concretizam

Mas somos os sonhos de um Deus

E temos sempre que ser como as borboletas

Que enfeitam o lugar onde estão.

Viver sim,

Para ser luz aos outros.

Viver sim,

Para mostrar o amor.

 

:: Postado por Marisa às 08:34
::
:: Enviar esta mensagem

D e v a n e i o s . . .

Presença minha

Vida atrelada à minha

Meu brilho de estrela

Ser que escolhi.

Mesmo nas horas más

Mesmo nas lágrimas

Dores que juntos sentimos.

E nos sorrisos

História contada juntos

Notas de uma mesma sinfonia

Partilha dos dias meus.

Cúmplice de tudo

És.

Amigo mais certo

Tenho.

O papo constante

O aconchêgo

Entrega de almas

O corpo no abraço

És tudo assim

És certo pra mim.

De tudo o que vivo

De tudo o que sonho

Serei teu par.

Iremos assim.

Desde ontem ao fim.

Se um dia murchar

A flor da varanda...

Não existirá mais razão

Devaneios meus...

Seremos incompletos assim.

Porque nasci

Pra ti

E tu

Pra mim.

(para TONI por Marisa Bragalia)

 

:: Postado por Marisa às 15:01
::
:: Enviar esta mensagem

O p ç ã o . . .

Ele queria um relacionamento
Eu só  pensava
em conduta...
Ele
queria um amor puro e sereno
Eu só pensava
em cobranças...
Ele
me olhava como filho
Eu O contemplava como alguém a quem tinha de obedecer...
Ele me queria pertinho de seu coração
Eu dispensava seu cuidado e não Lhe dava a mão.

Distanciei-me do  amor
Fechei portas para quem se importou

E vou 

Na vida enfrento  problemas
E me vejo sozinho assim
Pensando não ser  nada

Nem importante

Nem ter ninguém... 
Com a saudade apertando o coração.

Meu viver atormentado longe Dele 
Por opção. 
Feito filho pródigo
Eu parti  a cada dia
Para distante do Senhor.

Mas Ele me deixa livre para fazer minhas escolhas
E eu sempre penso que faço o melhor. 
E  toda liberdade que ganhei

Serviu para ver que me perdi.
Me feri,

Caí,

Triste voltei.


E então Ele me recebe
Com os braços de amor.

Cuida de mim.
A vida é minha , eu sei...

Faço dela o que quiser, eu sei...
Então eu quero amar, honrar e servir ao meu Senhor. 
Ser seu amigo, 
Eu consigo.
Ele quer meu coração
Eu Lhe dou.
Ele quer a minha vida
Lhe dedico
E assim ...

Por opção,

Serei mais feliz.!

:: Postado por Marisa às 07:57
::
:: Enviar esta mensagem

Meu próprio umbigo

Tenho estado absorto

Em pensamentos tão meus.

Tenho estado infeliz

Em circunstâncias tão minhas.

Tenho estado observando-me

Vivendo-me

Alimentando-me.

Pudesse apenas ver

Com meus olhos de bondade

Seria eu mais desapegado

De minhas inconstâncias

E mais presente na vida

De alguém que vai comigo

Numa mesma caminhada

Comendo os restos que deixo

Vestindo os restos que jogo

E sonhando

Ser como eu, um dia!

Ah se eu pudesse

Desviar os olhos de mim

Para olhar

E ver

O evidente!

:: Postado por Marisa às 13:30
::
:: Enviar esta mensagem






BRASIL , Mulher , poetisa, interprete de linhas e entrelinhas.Acerto de contas com a vida.


Links

:: Pétalas para Carol
:: Jorginho S2
:: Almas Douradas
:: Mil Imagens
:: Jornal da poesia
:: Em branco e Preto
:: Biografia Fictícia
:: Oswaldo Montenegro
:: S o n n e n
:: Aves de Rapina
:: Ternura Antiga
:: Ambidestro

Votação

Dê uma nota para meu blog

..:: INDIQUE ESSE BLOG ::..

03/06/2007 a 09/06/2007

17/12/2006 a 23/12/2006

10/12/2006 a 16/12/2006

20/08/2006 a 26/08/2006

16/07/2006 a 22/07/2006

09/07/2006 a 15/07/2006

02/07/2006 a 08/07/2006

25/06/2006 a 01/07/2006

Visitas

::Créditos::